Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10884/918
Title: Dificuldades Sentidas pelos Enfermeiros na utilização da Escala de Braden
Authors: Pinto, Jorge Miguel
Bastos, Luís Filipe
Keywords: Dificuldades
Escala de Braden
Prevenção de úlceras por presão
Avaliação de risco
Enfermeiros
Issue Date: 2012
Citation: Pinto, Jorge Miguel; Bastos, Luís Filipe (2012). Dificuldades Sentidas pelos Enfermeiros na utilização da Escala de Braden. Barcarena : Universidade atlântica
Abstract: Este estudo tem como tema “As Dificuldades Sentidas pelos Enfermeiros na Utilização da Escala de Braden”, pretendemos obter resposta à seguinte questão de investigação: Quais as dificuldades sentidas pelos enfermeiros na utilização da escala de Braden, tendo como objectivo: Identificar as dificuldades sentidas pelos enfermeiros na utilização da escala de Braden no Hospital de São José. É um estudo de investigação descritivo-simples e de paradigma quantitativo. A população do nosso estudo é composta por 130 enfermeiros do Hospital de São José, dos serviços de Neurocirurgia, Medicina 1.2 e Cirurgia Geral, da qual selecionamos uma amostra de 40 enfermeiros, que representa 30,8% da população, a quem distribuímos os questionários, obtendo uma taxa de resposta de 100%. Para o tratamento e análise dos dados, utilizamos a estatística descritiva, tendo os dados colhidos sido submetidos a tratamento informático, através da utilização de dois programas (SPSS 19 e Excel). Nos resultados que obtivémos as caracteristicas da amostra estão de encontro com os dados fornecidos pela ordem dos Enfermeiros, relativamente à idade e ao sexo, sendo a maioria dos enfermeiros do sexo feminino (85%) e com idades compreendidas entre os 26 e 30 anos. Neste estudo é de salientar que 57,5% da amostra fez formação sobre a escala de Braden, a motivação dos enfermeiros para a utilização da escala é maioritariamente razoável (60%), grande parte dos enfermeiros afirma ter pouco tempo disponivel para a reavaliação de UPP. Para além destas dificuldades foram questionados pelo grau de dificuldade na avaliação das sub-escalas da escala de Braden, sendo que os resultados mostram que a maioria não tem dificuldade ou tem pouca dificuldade na avaliação das seis sub-escalas. Concluímos que as dificuldades sentidas pelos enfermeiros na utilização da escala de Braden são o nível de motivação, o tempo que um enfemeiro dispõe para a utilização da escala e um maior investimento na formação.
URI: http://hdl.handle.net/10884/918
Appears in Collections:CS/ENF - Trabalhos Finais de Licenciatura

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA FINAL CORRIGIDA.pdf1.98 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.