Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10884/824
Title: Perfil de nomeação do idoso em processo de senescência em meio urbano : contributo para a validação do teste de nomeação de Amstrong
Authors: Vieira, Maria Carolina Echeverria
Keywords: Nomeação por confrontação visual
Linguagem no idoso
Senescência
Teste de nomeação de Armstrong
Issue Date: 5-Sep-2013
Abstract: A nomeação por confrontação visual é a capacidade linguística mais alterada no idoso em senescência. Objetivos: descrever o perfil do idoso em senescência no Teste de Nomeação de Armstrong (TNA) (Vital, Bom, Rasquilha e Ferreira, 1997, traduzido e adaptado de Armstrong, 1996); descrever e comparar o desempenho do idoso em senescência no TNA original e com imagens modificadas (Ferreira, 1998); comparar o desempenho de nomeação do idoso em senescência em função da idade e da escolaridade e analisar a sua relação com o estado cognitivo. Método: estudo exploratório-descritivo, comparativo, correlacional e transversal. Consistiu na avaliação da capacidade de nomeação de 32 idosos em senescência no distrito de Lisboa. Para recolha de dados utilizaram-se três instrumentos: ficha de caracterização sociodemográfica, Mini-Mental State Examination (Folstein, Folstein e McHugh, 1975, traduzido por Guerreiro, Silva, Botelho, Leitão, Caldas e Garcia, 1994) e TNA (Vital et al., 1997) e imagens modificadas (Ferreira, 1998). Resultados: o desempenho de nomeação no TNA (Vital et al., 1997) caracteriza-se por 42,41 (DP=4,36) nomeações espontâneas, 3,25 (DP=2,17) após ajuda semântica e 0,44 (DP=2,21) após ajuda fonémica, predominando a realização de parafasias semânticas, erros de má perceção visual, não reconhecimento e ausência de resposta. O desempenho de nomeação foi melhor com as imagens modificadas, com 43,41 (DP=4,36) respostas espontâneas, 2,84 (DP=0,71) após ajuda semântica e 0,44 (DP=0,71) após ajuda fonémica. Verificaram-se melhores resultados com as imagens modificadas de anel, cogumelo, coroa, trenó e com a imagem original de sandes. O desempenho de nomeação não obteve diferenças significativas em função da escolaridade e da idade nem se encontrou associação com o estado cognitivo. Discussão/Conclusão: as parafasias semânticas caracterizam a nomeação do idoso em senescência e os erros visuais, a ausência de resposta e o não reconhecimento devem-se às características visuais e à desadequação das imagens à cultura portuguesa. Sugere-se a utilização das imagens modificadas de anel, coroa, cogumelo e trenó e da imagem original de sandes na aplicação do TNA ao idoso português. Contrariamente a outros estudos, o desempenho de nomeação não obteve diferenças significativas em função da escolaridade e da idade nem associação com o estado cognitivo, possivelmente devido a diferenças metodológicas dos estudos.
URI: http://hdl.handle.net/10884/824
Appears in Collections:CS/TF - Trabalhos Finais de Licenciatura



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.