Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10884/805
Title: Cuidados paliativos e enquadramento do terapeuta da fala
Authors: Prazeres, Sara
Keywords: Cuidados paliativos
Trabalho de equipa
Terapia da fala
Terapeuta da fala nos cuidados paliativos
Comunicação nos cuidados paliativos
Alimentação nos cuidados paliativos
Issue Date: 2013
Citation: Prazeres, Sara (2013). Cuidados paliativos e enquadramento do terapeuta da fala. Barcarena, Universidade Atlântica
Abstract: Os cuidados paliativos são uma necessidade reconhecida e definem-se como ativos, tendo em atenção as necessidades e não o diagnóstico do utente, abrangendo as áreas física, psicossocial e espiritual do utente. Este trabalho deve ser realizado por uma equipa interdisciplinar, considerando os profissionais adequados, proporcionando tratamentos específicos da área e tendo em consideração as áreas transversais de intervenção. O terapeuta da fala pode contribuir intervindo nas áreas físicas e psicossociais, centrando a sua ação na pessoa/família e outros profissionais, proporcionando o aumento da saúde e bem-estar, nas áreas da comunicação e alimentação. Objetivos: caracterizar o contexto dos cuidados paliativos, relativamente às instituições que se conhece já terem prática (s) de prestação de cuidados na área dos cuidados paliativos; caracterizar a equipa interdisciplinar; caracterizar o terapeuta da fala enquanto membro da equipa interdisciplinar, nos cuidados paliativos e, finalmente, identificar as ações do terapeuta da fala, nos cuidados paliativos. Métodos: este é um estudo de caráter exploratório, descritivo e transversal. A amostra é constituída por 3 instituições que prestam cuidados paliativos, sendo que nenhuma delas tem terapeuta da fala (à data da aplicação do instrumento de recolha de dados - maio de 2013). Foi realizado um instrumento de recolha de dados (Prazeres e Vital, 2013) constituído por três partes: (1) dados referentes ao inquirido responsável de equipa dos cuidados paliativos ou a um elemento da direção; (2) dados referentes à instituição; (3) dados e questionário dirigido ao terapeuta da fala da equipa de cuidados paliativos, caso existisse. Resultados: As instituições: (1) realizam a referenciação dos utentes maioritariamente através do serviço médico; (2) dividem-se entre instituição hospitalar, instituição não-hospitalar e cuidados de saúde primários; (3) encontram-se maioritariamente inseridas na RNCCI. Todas as instituições dispõem de uma equipa específica de Cuidados Paliativos, sendo que: (1) o médico, enfermeiro, psicólogo e assistente social são profissionais presentes em todas; (2) a área mais pertinente de atuação é o controlo de sintomas; (3) as atividades da equipa comuns a todas as instituições são o apoio ao luto, apoio à família e cuidados domiciliários. Discussão/Conclusões: os cuidados paliativos são uma área relativamente recente em termos da sua organização em rede, sendo notável o processo de entrada e adaptação à RNCP, das instituições. Neste contexto devem englobar-se aspetos de teor prático e emocional. A intervenção deve ser interdisciplinar e direcionada para o aumento do potencial físico, psicológico, social e espiritual do utente e família. A terapia da fala como profissão mantém em aberto um caminho a percorrer e ações a desenvolver.
URI: http://hdl.handle.net/10884/805
Appears in Collections:CS/TF - Trabalhos Finais de Licenciatura

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Relatório_Investigação_VersãoFinal_SP.pdf860.67 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.