Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10884/705
Title: Grau de Auto-Confiança das Mães no período da Amamentação
Authors: Costa, Marisa
Bárcia, Sónia
Keywords: Amamentação
Auto-Eficácia
Fisioterapia
Suporte no Pós-Parto
Issue Date: 2011
Abstract: Introdução: O aleitamento materno é considerado fundamental quando se fala da promoção e protecção da saúde das crianças. Contudo, muitas mães tendem a abandonar esta prática precocemente. Os profissionais de saúde, nomeadamente, os fisioterapeutas, através de sessões de preparação para o nascimento e pós-parto, podem influenciar o sucesso ou insucesso da amamentação. Neste sentido, estes terão de avaliar de forma fiável as mulheres em situação de risco elevado de abandono da amamentação e identificar factores de predisposição desta de forma eficaz, nomeadamente, a auto-eficácia materna, no sentido de dar um contributo para a manutenção desta prática. Problema: O problema de estudo é perceber se a frequência nas sessões de pós-parto, orientadas por um fisioterapeuta, influencia o grau de auto-confiança das mães. Objectivos: O principal objectivo deste estudo é compreender se o apoio da fisioterapia no pós-parto influencia o grau de auto-confiança das mães no período da amamentação. Metodologia: Estudo quantitativo, quasi-experimental e longitudinal, dirigido a dois grupos de puérperas que têm em comum o facto de terem frequentado a preparação para o nascimento, mas apenas um dos grupos contínua com o pós-parto. Estes serão sujeitos à aplicação do instrumento de avaliação BSES-SF, juntamente com uma ficha de caracterização, na primeira e na última sessão do pós-parto (tendo este 8 sessões), sendo aplicados pessoalmente ao grupo experimental e, por via telefónica, ao grupo de controlo. A análise dos dados foi realizada através da estatística descritiva e inferencial paramétrica. Resultados: A amostra é muito semelhante e constituída por 25 elementos em cada grupo. Da 1ª para a 2ª aplicação do BSES-SF existem diferenças estatisticamente muito significativas entre a variação do grupo experimental e de controlo, sendo que a variação é maior no grupo de controlo (p = .000). O grupo experimental começa com um valor médio de confiança de 53.2 (alta eficácia), evoluindo para 57.4 (alta eficácia). O contrário se verifica com o grupo de controlo que começa com 18.2 (baixa eficácia) e termina com 58.2 (alta eficácia), não tendo este respondido de forma consistente à categoria da técnica na escala. As mulheres com um parto eutócito, que amamentaram logo o seu bebé e que praticam um aleitamento materno exclusivo, têm uma auto-eficácia superior comparativamente com as restantes mães. Discussão: Os resultados reforçam a ideia de que os fisioterapeutas desempenham um papel fundamental no objectivo de aumentar a incidência e a duração da amamentação, através do aumento da confiança materna. O comportamento do grupo de controlo contraria as ideias dos autores, podendo ser explicado por situações que lhes são favoráveis e outras que não foram possíveis de controlar. Conclusão: As etapas de elaboração do estudo revelam aspectos positivos e algumas limitações, tendo sido os objectivos alcançados. Este contribuiu para a formação pessoal e profissional, sendo um contributo para a escassa investigação nesta área, revelando-se importante para que aprática clínica do fisioterapeuta seja baseada na evidência. Estes podem encorajar as mulheres a amamentar e a manter esta prática, aumentando a sua confiança.
URI: http://hdl.handle.net/10884/705
Appears in Collections:CS/FISIO - Trabalhos Finais de Licenciatura

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Grau de auto-confianca das maes no periodo de amamentacao.pdf3.32 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.