Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10884/642
Title: Efeitos da Utilização da Pirâmide e do Bastão na Oscilação Postural e na Marcha após um Acidente Vascular Cerebral
Authors: Vaz, Liliana
Brandão, Rita
Keywords: Auxiliares de Marcha
Acidente Vascular Cerebral
Pirâmide
Bastão
Marcha
Issue Date: 5-Jul-2012
Abstract: O Projecto de Investigação irá centrar-se na área da neurologia, dirigindo-se especificamente à população de indivíduos que sofreram um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Tem como objectivo comparar os efeitos da utilização da pirâmide e do bastão na oscilação postural e na marcha em indivíduos com sequelas de AVC, uma vez que, não existe consenso na literatura sobre o uso dos mesmos. Trata-se de um estudo não-experimental, do tipo descritivo, onde se prentede caracterizar e comparar os efeitos da utilização dos auxiliares de marcha acima referidos. O AVC é a principal causa de incapacidade e deficiência no mundo industrializado (Hesse, 2003). Após o AVC, pode ocorrer um défice na coordenação muscular, fazendo com que os utentes tenham dificuldade na marcha de forma independente. Isto pode estar associado a uma limitação na capacidade de voltar ao trabalho, participar na comunidade ou realizar as actividades da vida diária (Higginson et al., 2006). A melhoria da capacidade de marcha é um aspecto bastante importante da reabilitação após o AVC, sendo o seu resultado, muitas vezes decisivo para a reintegração profissional e social dos utentes. Os próprios utentes, quando questionados sobre as suas prioridades, classificam a restauração da marcha como um dos objectivos mais importantes durante o programa de reabilitação (Hesse, 2003). Várias características da marcha hemiparética são comuns, incluindo a velocidade lenta, postura assimétrica, aumento do tempo de duplo apoio em relação a indivíduos neurologicamente saudáveis e diminuição da capacidade de coordenação muscular (Higginson et al., 2006). Deste modo, a marcha destes utentes está associada a várias alterações. Estas alterações da marcha podem ser descritos num laboratório bem equipado com instrumentos de análise de marcha (Hesse, 2003). Para facilitar a marcha destes indivíduos, são prescritos auxiliares de marcha. No entanto, não existe consenso na literatura sobre os mesmos. Alguns autores defendem a utilização da pirâmide, no entanto, os utentes têm tendência a deslocar a maior parte do seu peso sobre este auxiliar. Outros autores defendem o uso dos bastões que permite uma distribuição de peso sobre os dois membros inferiores, contudo existem poucos estudos com este auxiliar. Com isto, verifica-se a necessidade de novos estudos para caracterizar estes auxiliares. Este estudo será aplicado numa amostra de vinte indivíduos com sequelas de AVC, previamente selecionados de acordo com os critérios de inclusão e exclusão. Dez indivíduos que utilizam a pirâmide como auxiliar de marcha e dez indivíduos que utilizam o bastão serão avaliados na oscilação postural e na marcha apenas uma vez para recolha de dados. Após a recolha de todos os dados necessários serão determinados os efeitos de cada auxiliar de marcha.
URI: http://hdl.handle.net/10884/642
Appears in Collections:CS/FISIO - Trabalhos Finais de Licenciatura



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.