Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10884/313
Title: Qualidade de produtos apícolas portugueses e sua utilização na composição de alimentos
Authors: Tavares, Ana Catarina
Keywords: Mel
Composição mineral
Actividade antioxidante
Issue Date: 23-Jan-2012
Abstract: Os parâmetros de qualidade do mel são descritos na Directiva 2001/110/EC de 21 de Dezembro de 2001 e são aceites na Europa como os critérios mínimos de qualidade que devem ser respeitados. No entanto, o valor do mel como alimento funcional é apoiado pela sua actividade biológica que depende dos seus microcomponentes. Estes componentes do mel (compostos minerais, flavonóides, aminoácidos, compostos voláteis, etc.) dão uma elevada contribuição para a individualidade de cada tipo de mel e o seu carácter como produto alimentar nutracêutico. O principal objectivo deste trabalho é avaliar a actividade antioxidante e a composição mineral do mel português obtido de diferentes origens geográficas e botânicas e correlacionar esta propriedade com as características físico-químicas. As amostras de mel foram obtidas de produtores locais e armazenadas no escuro a 20 ºC, até ao momento da análise. A actividade antioxidante foi estudada usando três testes diferentes: actividade antiradicalar do DPPH•, poder redutor antioxidante férrico (FRAP) e reacção de Folin-Ciocalteu. Alguns parâmetros físico-químicos (acidez livre, acidez lactónica, acidez total, pH, condutividade e teor de humidade) foram igualmente determinados. Os méis monoflorais estudados foram obtidos da região algarvia e correspondem às seguintes origens botânicas: rosmaninho, laranjeira, tomilho, medronheiro e alfarrobeira. Foram também incluídos neste trabalho méis multiflorais (Algarve, Minho e Açores) e méis comerciais adicionados com própolis e geleia real (Beira). O mel de medronheiro e alfarrobeira apresentaram um actividade antioxidante claramente mais alta que os outros méis, em todos os testes utilizados. O mel de tomilho apresentou valores intermédios na actividade antioxidante, enquanto o mel de laranjeira e rosmaninho apresentaram os valores mais baixos nesta propriedade. A composição mineral dos méis monoflorais mostrou uma forte correlação com a actividade antioxidante. Alguns méis multiflorais do Minho apresentaram níveis elevados de actividade antioxidante, de cálcio e de magnésio. Os resultados obtidos neste trabalho indicaram que em particular o mel monofloral de espécies botânicas específicas pode ser uma boa fonte de antioxidantes. Qualidade de produtos apícolas portugueses e a sua utilização na composição de alimentos - Licenciatura em Ciências da Nutrição Ana Catarina Tomás Melo Tavares – Junho 2011 – Universidade Atlântica vi Além disso, foi observado que méis com cores mais claras, normalmente com maior aceitação pelo consumidor, apresentaram valores mais baixos de actividade antioxidante. Os dois méis com adição de antioxidantes (própolis ou geleia real) não mostraram uma actividade antioxidante particularmente elevada, quando comparado com outras espécies naturais de mel.
URI: http://hdl.handle.net/10884/313
Appears in Collections:CS/CN - Trabalhos Finais de Licenciatura

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ArtigoACTAna Tavares.pdfArtigo756.72 kBAdobe PDFView/Open
RelatorioACTAna Tavares.pdfRelatório1.25 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.